segunda-feira, 22 de março de 2010

MADAME DE STAËL, PENSADORA LIBERTÁRIA


Madame de Staël como Corinne - Pintura sobre tela de Vigée-Lebrun - 1809

Este blog tem como finalidade homenagear a escritora francesa Germaine Necker de Staël –Holstein (1766-1817), popularmente conhecida como Madame de Staël, a corajosa pensadora liberal que enfrentou, com paixão, claridade e sem meias palavras, o todo-poderoso Napoleão Bonaparte, Imperador dos Franceses (entre 1804 e 1814).

Madame de Staël foi, sem dúvida nenhuma, uma forte personagem histórica que assumiu posição definidamente crítica em face dos desmandos absolutistas do Imperador, em que pese o fato de Napoleão tê-la obrigado a sair da França e perambular pelos vários países da Europa durante dez anos, fugindo da feroz polícia política do Imperador e denunciando, perante as Cortes européias da época, a arbitrariedade napoleônica. Dessas aventuras libertárias dá conta a obra de Madame de Staël intitulada: Dix Années d´exil (escrita entre 1803 e 1813).

Madame de Staël é uma típica pensadora romântica. As suas obras De la Litterature, De l´Allemagne, Corinne, Delphine deitaram os alicerces do romantismo francês, tanto do ângulo dos pressupostos filosóficos, quanto do ponto de vista do código estético-literário.

No seu castelo de Coppet, no vale do Vaud, na Suíça, a corajosa escritora reuniu, nas duras condições que o exílio lhe impunha, a elite pensante européia, dando ensejo assim, ao lado de um outro precursor do romantismo francês, Benjamin Constant de Rebecque (1767-1830), às primeiras manifestações do que posteriormente denominou-se de “cultura européia”.

Madame de Staël teve um nexo afetivo com o jovem português Pedro de Souza Holstein (1781–1850), duque de Palmela, que exerceu funções públicas junto à corte de Dom João VI (1767-1826), no Rio de Janeiro. Por força da influência recebida das idéias da sua amiga, Palmela ajudou a fortalecer as instituições do governo representativo, na nascente monarquia brasileira.

Com a finalidade de estudar as várias facetas da obra e da personalidade de Madame de Staël, foi criado, em 2007, na Universidade Federal de Juiz de Fora, com reconhecimento do CNPq, o Núcleo de Estudos sobre Madame de Staël e o Romantismo Filosófico e Literário. Aparecerão, neste blog, alguns dos trabalhos apresentados nos Seminários regulares do Núcleo, bem como escritos avulsos sobre a notável pensadora.

Um comentário: